quinta-feira, 30 de março de 2017

O Eu e o Desconhecido

O desconhecido na maioria das vezes assusta-nos. Somos capazes de fazer o mesmo caminho todos os dias sem sequer pensar ir para outra rua, só porque nunca fomos por aí. Se mudar de rua “custa”, “mudar de vida” é assustador. Existem vários “monstros” que muitas das vezes nem são reais. Dá um frio na barriga, um calafrio que muitas das vezes se esconde dos outros. O pior é que é preciso avançar para se certificar que realmente não existe nenhum monstro, mas sim só o nosso medo. Esses tipos de coisas não se ensinam e nem se aprende com os outros.
Já alguns anos deixei tudo que conhecia para viver no Porto. É claro que não foi fácil, no entanto no meu imaginário quando preciso “do meu recanto” lá estou eu, entre a Oliveira do Gaio, Palácio de Cristal e Ribeira. Alguém um dia me disse, que isto se deve ao facto de no Porto me ter encontrado comigo mesma. Sendo assim, quero reencontrar-me comigo mesma de vez em quando.

Paula Ribeiro