quarta-feira, 31 de maio de 2017

De admiração à desilusão


Admiração não é propriamente um sentimento que se tem para com todas as pessoas à nossa volta. Se calhar nem sempre há uma razão lógica para se admirar uma pessoa. Poucas vezes nos questionamos por que admirar uma pessoa e não a outra, isto porque, aparentemente, vivemos bem tanto o facto de admirar uns como o facto de não admirar outros.
A situação muda quando esta mesma pessoa passa de um patamar de uma admirada para um displicente ou seja quando a nossa consideração para com uma pessoa passa de 80 para 8 (ou 80 para 0).
Quando o nosso admirador ou a nossa admiradora nos consegue desiludir profundamente ficamos divididos. Por um lado, sentimos tentados a achar que a pessoa em questão é uma “má pessoa” que conseguiu até nos iludir a admirá-la. Por outro lado, sentimo-nos um “palerma” por nos deixarmos iludir e admirar esta pessoa.

Paula Ribeiro