quarta-feira, 17 de maio de 2017

Vida, curta e Preciosa


A vida é demasiado curta e muito preciosa para dedicarmos às pessoas e às coisas que de nada nos valem. Porém, o facto de uma pessoa, uma coisa não ser importante na nossa vida, não significa que não têm importância e nem significa que somos melhores ou que fazemos melhores. Essas coisas acontecem, às vezes, simplesmente por uma questão de “incompatibilidade vivencial” (porque não gostamos disso ou porque elas fazem assim). Admitindo ou não, todos nós por vezes nos cruzamos com algumas pessoas de quem não gostamos e elas mesmas por vezes “nos obrigam” a enfrentar/ultrapassar muitas coisas das quais também não gostamos. Se for uma pessoa ou uma coisa “normal” o problema provavelmente é nosso. Sendo assim, porque desperdiçar o precioso tempo e dedicar as pessoas e as coisas sem importância para nós?

Paula Ribeiro