domingo, 2 de julho de 2017

E as minhas perguntas, “Isa”?



Desde muito cedo ensinaram-me que os seres vivos nascem, reproduzem (só mais tarde aprendi que nem todos) e morrem, porém ninguém me ensinou como lidar com a morte.

Existe um “mito” que nos tenta fazer acreditar que os velhos estão preparados para morrer, mas eu ainda quero e preciso perceber o que fazer com o amor. O meu amor não envelheceu nem mesmo as zangas, porque não havia lençol novo ou porque não houve cuidado para manter o chão limpo, fizessem com que o amor diminuísse.

Às vezes, quando a saudade aperta idealizo os dias de beijos e abraços, sem espaço para a saudade, mas e quando a pessoa já não está? Quando já não existe?...

Dizem que existe um lugar bem melhor para os mortos e eu quero acreditar nisso, mas isso não diminui a dor que senti e que ainda sinto.
Ainda tenho muitas perguntas... Precisava de saber mais sobre um tal chá…

Paula Ribeiro